/ Criação com Apego

20dez 2015

Cama Compartilhada: Prós e Contras

Post por às em Criação com Apego, Filhos

A cama compartilhada é um tema bastante discutido hoje em dia, por diversos especialistas e muitos pais. É um assunto de certa forma polêmico; já que as opiniões se divergem. Enquanto alguns são extremamente favoráveis a respeito da mesma, outros são totalmente desfavoráveis. Por este motivo, é que neste post, irei falar sobre os prós e os contras de tal prática, contar um pouco da minha própria experiência. Espero desta maneira, ajudar quem ainda tem dúvidas sobre o assunto.

Prós

Dormir junto com o bebê, é bastante benéfico, pois auxilia para um contato mais próximo entre pais e filhos, fortificando o vínculo afetivo. Esta prática é muito comum aos adeptos da criação com apego. O bebê se sente mais protegido, sentindo o cheiro da mãe e assim consegue dormir muito melhor. É possível conseguir que o bebê durma muito bem, desde recém-nascido. Logicamente, que ele vai acordar algumas vezes durante a madrugada para mamar, mas como a mãe já está junto dele, tudo fica muito mais fácil.  Além de ser bem menos cansativo para a mãe, que consequentemente vai conseguir dormir melhor e ficar muito mais descansada. Assim, ficamos mais ativas, dispostas e temos mais qualidade de vida. E isso não tem preço! Conseguimos cuidar melhor do bebê durante o dia também e administrar as outras atividades com mais disposição.  Facilita no momento da troca de fraldas e nos cuidados com o bebê. Ficamos mais tranquilas, porque estamos perto do bebê e não vamos ter que ficar levantando para conferir se está tudo bem, se ele está respirando… Essas coisas que todas as mães costumam fazer rss. É tudo muito mais prático e simples.

Contras

A grande maioria dos especialistas e pais, que são contrários a cama compartilhada, alertam com relação aos acidentes que podem acontecer; como por exemplo o sufocamento do bebê, entre outras coisas…. Porém, é muito difícil de isso ocorrer. Mas atenção e cuidado nunca são demais. É aí que vem outro ponto que pode ser desfavorável. Os pais, muitas vezes não dormem da forma que gostariam e não conseguem relaxar por medo de possíveis acidentes. Mas com certeza, quando dormimos junto com o bebê esse alerta é positivo, e não atrapalha a qualidade do sono. É algo necessário… Outra coisa, que é colocada de forma negativa é com relação a intimidade e relação do casal, que muitos acreditam que acaba ficando comprometida. Fato este que não concordo, já que pode ser facilmente resolvido, pois existem outros momentos e espaços da casa, para o casal se relacionar mais intimamente.

Minha Experiência

Meu primogênito dormia no berço ao lado da minha cama. Sempre preferi desta forma, para ficar mais próxima a ele e facilitar os cuidados. Mesmo assim, confesso que era bastante cansativo. Algumas vezes ele dormia na nossa cama, mas isso foi acontecer só quando ele já estava com 01 ano mais ou menos. Quando a Lorena nasceu, já iniciamos com a cama compartilhada. Nem usamos o berço. No início não dormia direito, pois ficava com medo de acabar sufocando ela…

Mesmo assim, comparando com a primeira experiência da qual tive com meu filho mais velho, me senti sempre muito mais descansada e facilitou demais para tudo. Conforme foi passando o tempo, fui dormindo cada vez melhor e realmente fez uma grande diferença. Dificilmente me sentia  cansada e indisposta, a amamentação aconteceu de maneira muito mais prazerosa e a maternagem em si foi muito mais leve…. Nunca ocorreu nenhum tipo de acidente, por menor que fosse!

Como a minha vivência foi bastante positiva neste sentido, eu super recomendo para outras famílias. Além de tudo, como pude experimentar a cama compartilhada com a filha mais nova e com o primogênito  vivenciei a forma mais tradicional; ou seja: ele dormiu no berço, e não fizemos cama compartilhada, posso fazer um comparativo entre as duas formas e afirmar sem sombra de dúvidas que a cama compartilhada foi muito melhor em todos os sentidos!! Mas acredito que os pais, devem sempre optar por aquilo que acreditam ser mais viável para sua própria família. É importante que conheçam as opções, e desta forma possam decidir mais conscientemente sobre suas escolhas.

Como tudo na vida, todas as escolhas têm seus prós e contras. Seja a opção da cama compartilhada, ou com o bebê dormindo no berço no mesmo quarto dos pais, ou em seu berço no seu próprio quartinho. Riscos sempre existem e penso que estar mais próxima do bebê é maior garantia de saúde para ele. Quando o filho dorme longe dos pais, muitos acidentes também podem acontecer, o alerta vale em ambas as situações! Cabe a cada família decidir o que acredita que se encaixa melhor pra ela e seu bebê. No meu caso, como já falei anteriormente a cama compartilhada foi a melhor escolha e está de acordo com o tipo de criação que quero fornecer para minha filha; com muito apego, muito contato físico, muita proximidade, da maneira mais prazerosa possível.

Recomendo para quem pretende fazer cama compartilhada, que pesquise um pouco mais sobre o assunto, leia bastante, assista vídeos, quanto mais orientação de qualidade melhor, para que a prática possa ser mais consciente e assertiva. Informação nunca é de mais! Leia outros relatos e opiniões de especialistas favoráveis e desfavoráveis com relação ao ato de dormir junto com o bebê, já que por aqui não me estendi muito no tema. Indico leituras sobre a criação com apego e seus inúmeros benefícios, da qual a cama compartilhada está incluída. Se você ainda tiver alguma dúvida, pode perguntar por aqui e deixe nos comentários também a sua opinião sobre esse assunto, vou adorar ajudar e saber um pouco mais!

Beijos maternos, Liri ♥