17ago 2015

Dicas para um melhor sono de mãe e bebê

Post por às em Dicas, Filhos, Saúde

O sono dos bebês e das crianças pequenas é outra das grandes dúvidas da maioria das mamães, que querem descobrir se existe uma fórmula para que seus filhos possam dormir melhor, já que assim, elas próprias também conseguem descansar mais, sem transformarem-se em verdadeiros “zumbis” no dia seguinte. A verdade é que não existe nenhuma fórmula mágica, já que cada bebê é único; mas existem sim algumas dicas que podem melhorar o sono dos nossos pequenos.

Toda mamãe que tem um bebê recém-nascido em casa, sabe que os pequenos, costumam acordar diversas vezes durante a noite para mamar, ou porque estão com cólica, entre outras coisas. A verdade é que no início é bastante difícil mesmo, porque quando são bem pequenos eles tendem a ter mais cólicas; isto porque seu sistema digestivo ainda é muito imaturo e muitas vezes chegam a deixar suas mamães uma noite inteirinha, ou até várias em claro; até que a cólica vá embora, mas acalmem-se mamães que essa fase no geral, só dura até os três meses.

Os bebês de 0 aos 3 meses geralmente acordam entre 2 a 3 vezes durante a noite para mamar e trocar fraldas. Dessa forma, as mães não conseguem ter mais uma boa noite de sono e descanso como era antes da chegada do bebê. Mas muita calma nessa hora, porque essa fase também passa, ainda bem né?! Amamos nossos pequenos, mas todo mundo precisa dormir em média 8 horas por noite, para recarregar as energias que foram despendidas durante um dia inteiro. Dormir bem é sinônimo de boa saúde. Por esse motivo é que os primeiros meses com os nossos bebês tendem a ser mais exaustivos.

#DICASPARAUMMELHORSONODEMAEEBEBE

A realidade é que um recém-nascido, gosta de sentir o cheiro da sua mãe, de sentir-se amparado, já que passou 09 meses durante o aconchego do útero de sua mãe, sempre bem juntinho dela. “Separar-se” de sua mãe para o bebê é geralmente bastante doloroso. É por isso que muitas mamães aderem a cama compartilhada ( quando o bebê dorme junto da mãe, ou dos pais, na mesma cama) para que seu bebê esteja sempre perto dela e dessa forma, fique mais calmo, sentindo seu cheiro e sentindo-se protegido ao seu lado. Só que claro, a cama compartilhada como tudo na vida, tem seus prós e contras. O lado bom da cama compartilhada é justamente os benefícios que já foram citados acima: bebê mais calmo, dormindo melhor e consequentemente uma mãe mais calma e descansada .

Os contras da cama compartilhada é o risco de sufocamento do bebê, já que a mãe dormindo pode acabar deitando sobre o bebê,  perde-se um pouco da “intimidade” com o marido e também pode ocorrer de acostumar o bebê a dormir sempre junto de você. Muitas pessoas e profissionais são contra a cama compartilhada, justamente por todos esses motivos. Outra forma de facilitar a vida de mãe e filho, para que ambos consigam descansar mais é comprar um bercinho acoplado com a cama dos pais. O que eu acho ótimo, porque gera mais espaço na cama, diminuindo os riscos de sufocamento e ainda ter todos os benefícios da cama compartilhada.

Outra possibilidade é colocar um bercinho “comum” ao lado da cama, pelo menos até os três meses de vida do filho (a),  o que vai facilitar ao menos nos momentos das mamadas e troca de fraldas da madrugada, sem a mãe ter que se deslocar até o quartinho do bebê para tal. Outra vantagem é que facilita no momento da mãe cuidar do bebê durante a noite, observando se está tudo bem com ele. Afinal, que mãe que não gosta de acordar durante a noite pra ter certeza que o bebê está respirando e dormindo adequadamente? Para esses casos, existe também a babá eletrônica, o que eu particularmente não gosto, pois acho que nada se compara com a certeza e a segurança de ver com os nossos próprios olhos rs.

#DICASPARAUMMELHORSONODEMAEEBEBE

Tudo isso que foi falado, são dicas para melhorar o sono de mãe e bebê, o que não significa que o pequeno não vá mais continuar acordando durante a noite. Isso tudo pode facilitar e auxiliar para ambos. Existem muitas outras coisas que podem ser feitas, como é o caso de enrolar o bebê em um cueiro, entre outras. Lembrando que não existe um manual para isso. O bebê vai começar a dormir melhor (dormindo a noite toda, ou acordando menos) em média  a partir dos 4 meses.  Quando o meu primeiro filho nasceu, optei por deixar o berço comum ao lado da minha cama. Ele era um bebê muito tranquilo, mas como é habitual dos pequenos, acordava 3 vezes por noite, para mamar e trocar fraldas. Eu pegava ele do berço e amamentava-o sentada na minha cama. Muitas vezes acabava dormindo sentada com ele nos braços, de tão cansada, o que era um perigo também, pois podia acabar derrubando-o dos braços. Mas ainda bem que isso nunca aconteceu, acabava sempre me dando conta e acordava.

Mesmo o berço estando ao lado da cama, o que facilitava para cuidar dele; logicamente ainda me sentia muito cansada e com sono no dia seguinte. Quando ele completou quatro meses realmente o sono dele começou  a melhorar muito e ele dormia a noite inteira. Uma noite, nunca irei me esquecer, que meu bebê começou a fazer um barulho estranho enquanto dormia, não era um choro, era como um “resmungo”, meu marido estava roncando e dormindo profundamente neste momento rs. No mesmo instante levantei e fui olhá-lo e ele estava engasgando! Ele teve refluxo e consegui ajudá-lo porque despertei imediatamente. Se o berço dele não estivesse ao meu lado, sinceramente, não sei se me daria conta do que estava acontecendo. Provavelmente não. Por este motivo acho tão importante que o bebê fique no mesmo quarto dos pais.

#DICASPARAUMMELHORSONODEMAEEBEBE

ASSINE A NEWSLETTER E RECEBA OS PRÓXIMOS POSTS SOBRE O ASSUNTO. SIGA TAMBÉM A ESTAÇÃO MATERNA NAS REDES SOCIAIS:

Quando a Lorena nasceu, optei pela cama compartilhada. Já havia lido muita coisa a respeito e achei que seria  a melhor opção para o momento. Até porque, sou adepta de uma criação com apego. Foi muito boa a experiência, ela dormia a noite toda sentindo meu cheiro e quando acordava eu a amamentava na cama e logo ela dormia. No início fiquei um pouco com medo de sufocamento, e por este motivo sempre cuidei muito e a deixava adormecendo em cima do meu braço pra que eu não esquecesse de que ela estava ali comigo. Sempre dormi muito bem e não senti o “efeito zumbi” desta vez. Lorena está com 11 meses e ainda dorme comigo. Enfim, são escolhas, opções, que devem ser analisadas, estudadas pra que os riscos sejam praticamente nulos e proporcionem qualidade de vida e bem-estar para todos.

Existem outras maneiras também que ajudam para um sono com mais qualidade da mãe e do bebê. Por exemplo, criar uma rotina de sono para ele, fazendo com que durma a noite sempre no mesmo horário. Dar um banho morno e amamentar antes de colocar o bebê para dormir. Tem mães que gostam de colocar até camomila na água do banho. São todas essas, maneiras que contribuem para um melhor sono da criança. A camomila eu nuca testei, o restante sei que realmente dá certo. Espero que essas dicas ajudem você de alguma maneira! E você, conhece alguma outra dica e sugestão que não falei por aqui? Se sim, não deixe de compartilhar aqui com a gente! Aproveite para nos contar também como anda o sono do seu bebê.

Beijos maternos, Liri ♥

comentário(s) via facebook