13ago 2015

O dilema de furar ou não furar as orelhinhas

Post por às em Cuidados, Filhos, Saúde

Um hábito muito comum entre as mamães de meninas é furar as orelhinhas das pequenas afim de deixá-las mais “bonitas”, “enfeitadas” e “femininas” ou qualquer outro motivo. Muitas maternidades costumavam furar as orelhinhas das bebês, para as mães que assim desejavam; porém esta prática geralmente não é mais realizada dentro das maternidades. Este assunto tem sido atualmente bastante discutido com relação a sua real necessidade para as recém-nascidas.

#odilemadefurarounaoaorelhinha

Sempre fui muito vaidosa e sempre gostei de usar brincos, pulseiras, anéis. Sonhava em ter uma filha pra enfeitá-la bastante: colocar brincos, pulseirinhas, muitos babados e penduricalhos rs. Só que engraçado porque hoje em dia não penso mais assim e nem faço nada disso.

Optei por não furar a orelha da minha filha, pois comecei a me questionar qual seria a relevância e as consequências de tal ato para mim e para ela. Já que sim, furar a orelha dói, pode inflamar, podem ocorrer acidentes, mesmo tomando todas as precauções.

Na minha gestação pesquisei muito sobre esse tema e achei interessante refletir em alguns pontos que encontrei sobre o assunto: Um furo é um furo, fica a marca, é como uma tatuagem vai ficar marcado no seu corpo pra vida inteira. O buraquinho pode fechar, mas a marca vai estar alí por menor que seja. Outra coisa para se pensar seria se valeria a pena fazer ela sentir dor, somente por uma questão de vaidade.

#odilemadefurarounaoaorelhinha

Porque sim, no meu caso um brinco seria apenas uma questão visual, de estética, não consigo ver de outra forma. Não é como a dor de uma vacina, que tem ou pelo menos é para ter a  função de protegê-la. O que não é o caso dos brincos. Seria uma dor desnecessária. Ela vai ter a escolha dela futuramente quando quiser furar ou não, suas próprias orelhas.

Outra coisa que me fez refletir é que os bebês dormem de brincos. Não tem como tirar e recolocar quando se trata de nenês. E dormir de brincos é algo extremamente desagradável. Machuca, causa incômodo. Eu nunca durmo com brincos. Não tenho  a vaidade também de querer estampar um belo par de brincos de ouro nas orelhas da minha pequena.

Então, depois de refletir sobre todos esses pontos decidi não furar.  Isso porque eu faria algo sem o consentimento dela. Muitas, muitas pessoas mesmo me perguntam os motivos dos quais não furei a orelha da minha filha. Pois aí estão todas as reflexões e os motivos que me fizeram optar a não furar rs.

#odilemadefurarounaoaorelhinha

Sei que este é um tema de certa forma polêmico. Não vou julgar você mamãe que furou a orelha da sua filhinha. Acho que cada mamãe tem uma forma de pensar e eu RESPEITO! Essa é  minha forma de pensar e também gostaria de ser respeitada da mesma forma em que respeito a de todas as mamães.

Não vou negar que acho importante a reflexão sobre o tema e por isso que resolvi escrever esse post. Por mais que optemos em furar ou não furar; a  reflexão, a pesquisa e orientações de qualidade sobre o assunto sempre irão nos tornar mais conscientes de nossas próprias escolhas e escolhas estas que são nossas sim, mas que influenciam totalmente na vida dos nossos filhos.

Refletir sobre nossas escolhas faz com que nossas decisões sejam mais claras, coerentes, e não somente levadas por ondas de “modismos”, porque todo mundo faz, porque todo mundo fura, ou porque agora ninguém mais fura. Mas sim, pra saber os nossos próprios e reais motivos para cada tomada de decisão e todas as suas possíveis consequências! E você o que pensa sobre esse assunto? Deixe nos comentários a sua opinião.

Beijos maternos, Liri  ♥

comentário(s) via facebook