/ introdução alimentar infantil

14ago 2015

Introdução alimentar dos bebês

Post por às em Cuidados, Filhos, Mães, Saúde

Uma das grandes dificuldades e dúvidas que a maioria das mães têm é com relação a introdução alimentar dos seus bebês, que deve iniciar quando nossos pequenos completam 6 meses de vida. Até o sexto mês o recomendado pelos especialistas é oferecer ao bebê exclusivamente leite materno. E aí o nosso bebê que estava acostumado somente ao leite materno agora deve também se adaptar a outros tipos de alimentos que devem complementar a amamentação, que agora não será mais exclusiva. A introdução alimentar no início não é muito fácil não, pois é algo novo para eles, que agora devem também  aprender a comer, a mastigar, sentir novos gostos, aromas e sabores. Mas tenha paciência porque eles irão aprender tudo direitinho, mas é preciso calma para criar a nova rotina e adaptação do seu filho (a).

Aqui em casa, quando comecei com a introdução alimentar da Lorena aos 6 meses (ela agora está com 11 meses), tive que contar com bastante paciência, pois ela não aceitava os alimentos e jogava tudo fora da boca. Geralmente tende a ser assim mesmo com meu primogênito foi a mesma coisa. Oferecia diversas vezes o mesmo alimento até ela aceitar e realmente comer. A pediatra que nos orienta, disse que era para oferecer diversas vezes cada alimento até ter certeza de que ela realmente não gostou. Ou seja era preciso além de muita paciência, também muita persistência.  E foi assim mesmo que aconteceu, o primeiro alimento que ofereci a ela foi uma banana amassadinha. Ela fazia cara feia, jogava tudo pra fora e não aceitava. No início achei que ela não havia gostado da banana, porque depois de algumas tentativas ofereci a ela uma maçã, também amassadinha e ela aceitou melhor e ao menos não jogou tudo de cara pra fora da boca.

#introduçãoalimentardosbebês

Mas a pediatra estava certa. Depois de diversas tentativas oferecendo a banana, ela aceitou e começou a comer super bem. E foi assim com todos os outros alimentos. Por isso tem que ter paciência, porque até eles aceitarem um alimento as vezes leva algum tempo e não dá para desistir. Eles se sujam bastante, fazem lambança, mas é tudo super normal. A recomendação que me foi dada é que eu deveria oferecer a minha pequena um alimento por vez, oferecendo diversas vezes ao dia, para observar caso ocorresse uma alergia alimentar. Pois desta forma,  seria possível saber qual alimento ela seria alérgica. Foi assim que fiz, e ela não demonstrou nenhum sinal de alergia aos alimentos. Comecei oferecendo frutas, depois legumes, suco de laranja lima, água fervida, até chegar na sopinha, no arroz com feijão e carne.

Eu sou bem rigorosa com a alimentação da Lorena, procuro cuidar muito com sal, não é recomendado usar na verdade ou se usar é muitooooo pouquinho mesmo, mas nas primeiras papinhas não coloque nem uma pitadinha, a adaptação será melhor e é sempre bom preservar os rins dos nossos bebês. Cuidar com temperos, procuro dar sempre alimentos mais saudáveis possíveis e naturais. Sempre peça orientação do seu pediatra nesse sentido e procure por informações de qualidade. Procure adaptar seu bebê a uma alimentação saudável desde bebê, porque isso vai refletir lá na frente.

#introduçãoalimentardosbebês

Leio muita coisa e pesquiso muito sobre o assunto. Evito muito industrializados. Nessas minhas andanças por pesquisas já li em alguns sites dizendo que não é bacana oferecer suco de laranja ou de frutas, mesmo que naturais, pois aumenta o índice do diabetes. Enfim, hoje em dia não dou suco para minha filha nenhum, nem de frutas, muito menos industrializado. Mas este é também outro dos tópicos “polêmicos” e enfim, pesquisem mais sobre o tema e tirem suas próprias conclusões.

Danoninho foi uma coisa que eu dei para meu primeiro filho, pois achava que era saudável, mas depois vim a descobrir que não é bem assim. Na verdade ele é um queijo processado com um monte de outras coisas naaada saudáveis. Muitos chamam o danoninho de yogurte. Ele nem é considerado um yogurte, pois na realidade é um petit suisse, e é recomendado que este, só seja  oferecido as crianças a partir dos 4 anos de idade e mesmo assim com muita cautela. Sugiro que vocês mamães pesquisem mais sobre esse assunto, pois senão irei me estender demais e este tema é bastante abrangente. Só ele daria pra fazer um post inteiro rs. Enfim, resumindo: Não dou danoninho para minha filha. Voltando aos alimentos a serem oferecidos para os bebês: A pediatra sempre me orientou a preparar um prato bem colorido por exemplo: com arroz, feijão, carne, cenoura, batata. Carne é outro tópico polêmico, mas ofereço  a ela somente frango cozido e desfiadinho, nunca frito.

#introduçãoalimentardosbebês

Outra coisa que vim a descobrir na introdução alimentar da Lorena que até então desconhecia é o método BLW (baby-led-weaning), que é um método que consiste em deixar que o bebê explore os alimentos a sua maneira, deixando-o segurar, sentir a textura, o cheiro e comer quando sentir vontade. Neste método ao invés de você amassar os alimentos, você entrega a  ele por exemplo um pedaço de banana e deixa-o comer sozinho. É recomendado que os pais ou cuidadores fiquem sempre por perto, para acompanhar tudo, para estar atento ao bebê e quem sabe se ele por ventura vir a engasgar dar tempo de tomar as medidas cabíveis (mas é difícil isso acontecer, mas não impossível). Esse era o meu maior medo com esse método. Experimentei, dei pedaços de banana pra ela ir comendo sozinha, de maçã, mas tudo isso só depois que ela já estava mais habituada com a alimentação. Aprovei, acho válido o bebê receber todos os tipos de sensações proporcionadas através dos alimentos. Mas não fiquei só nesse método eu mesclo até hoje os dois. Ou seja: dou alimentos amassados e outros não. Também recomendo que pesquisem mais sobre o assunto, pois ele também é bastante extenso. Estou apenas dando uma resumida.

Enfim, o tema da introdução alimentar na realidade é bastante extenso no geral. Mas como disse anteriormente, acho importante o esclarecimento dos pais sobre o assunto,  pesquisa e dar preferência sempre para um alimentação saudável e de mais qualidade. Hoje em dia a Lorena se alimenta super bem, come super bem, mas eu sou extremamente cautelosa com a alimentação dela. Prezo pelo natural e saudável. Acredito muito no ” poder do hábito”.  Desde criança meu pai sempre cuidou muito da minha alimentação e dos meus irmãos. Meu pai se intitula um “naturalista” e na minha casa açúcar era somente mascavo, nada de açúcar branco. Na minha casa não tomávamos refrigerantes, sucos industrializados, balas, salgadinhos. Era muita fruta, verdura, legumes, yogurte natural, granola, aveia, tudo muito natural. E até hoje não gosto de refrigerantes e adoro alimentos naturais, tenho certeza que isso devo ao meu pai. Minha mãe também gosta, mas meu pai sempre foi mais cuidadoso nessa parte. Por isso gostaria de ensinar esses bons valores para meus filhos para que eles aprendam a se alimentar porque com certeza isso prevalecerá na vida deles, assim como foi comigo.

E vocês me contem como foi a introdução alimentar por aí?! Quero saber de tudo! rs

Beijos maternos, Liri ♥